domingo, 22 de julho de 2012

Sabedoria noturna - Carência.



Eu sei porquê eu gosto da madrugada, é eu e eu, sem fingimentos ou mentiras.

Três e meia da madrugada. Eu nunca vi tanta gente carente, tanta gente... Sozinha. Tanta gente sozinha... Aflita e... Desesperadas internamente. Perdidas e tristes.

Uns procurando calor, outros procurando amor... Todos fugindo da solidão, gritando em sussurros subjetivos e socos nos muros da própria mente.
As coisas mudam dentro do nosso coração, mas nós sempre vamos precisar de amor. Sempre vamos precisar amar...

E é tão escancarado. Nunca vi tantas pessoas se sentindo sozinhas... diferente daquelas que estão bem consigo sozinhas. Mas as pessoas esquecem o que é isso, e então tornam a se sentir só, porque... Mais quem reparou? Ou qual foi o pai que ensinou ao filho? E quais foram aqueles que entenderam?

Nunca vi tantas pessoas se sentindo sozinhas... Todos fugindo da solidão, gritando dentro dos muros da própria mente - Postados em sussurros subjetivos e socos
Desesperadas internamente. Perdidas e tristes. – E isso te leva a fazer qualquer coisa imediata; Mas isso não te salva, não te impede de em pouco tempo “pessoas se sentindo sozinhas”.

- Espera – Ele disse.
- O que é?! – Ela perguntou, decepcionada, frustrada. E iria embora, sem pensar.
- Eu não sei, mas espera – Ele respondeu.
- O que é?
- Não sei, apenas espere. Só quero que espere um pouco – Ele disse.

Eles se conhecerem em um dia de inverno, e fazia esse mesmo frio. Gostaram um do outro. E diferente do que sempre ocorre, tinham mais em comum (mas não tudo) do que a solidão, a carência e o frio.
A história de cada um é diferente depois disso, mas a questão é: Você lembra? Você lembra o porquê está com alguém, o que te levou a fazer isso?
Divertira-se, sorriram. Foram felizes até que... Esqueceram. – E as pessoas estão esquecendo rápido demais...
São essas doenças do século XXI. São as novas doenças, os novos cânceres - Superficial e imediato.

“Não sei, apenas espere...”

É fácil, realmente fácil estar com alguém, mas... Não sentir-se sozinho e fazer alguém não se sentir sozinho... Uma noite, duas, três... Mas isso não te salva do “pessoas se sentindo sozinhas”.

E é um "fingimento" muito grande, as pessoas sem consciência alguma brincando com seus bonecos(as) de ouro, quebrando-os(as). - Então, compra-se outros. E é como se nunca tivessem nenhum, mas nunca tiveram...

Lembre-se que á noite faz frio... E que conhecer alguém, ser conhecido, uma história, é coisa difícil...

“Não sei, apenas espere...” – Antes de jogar tudo fora. - Você se lembra daquela marca na árvore? - E não espere perder para lembra porquê está com alguém... E lembrar de toda história... 

Alexandre Vieira

2 comentários:

The ♆Blackacidevil☿ disse...

As vezes pedir para esperar se torna mais doloroso
pois apenas se adia um pouco o inevitável
a solidão...

Alef disse...

Espera... que texto bacana!
Espera... é o Inverno de novo!
Espera... a carência parece uma maldição?
Espera... acho verdadeiro admitir a presença dela e saber lidar... por isso como muito chocolate! haha...
Abração.